Notícias

Pastora Adriana Ortencio ministrou a palavra no último domingo. A reflexão foi sobre qual grupo você pertence: religioso, multidão ou discípulo.

O texto base foi  João 1:14 que apresenta a origem divina de Jesus e como o Senhor habitou em nosso meio.

Ao redor Dele sempre haviam três grupos: os religiosos, as multidões e os discípulos. A mensagem nos mostra quem eram e como cada um deles relacionava-se com Jesus e seus ensinamentos.

O primeiro grupo era composto de religiosos que resistiam ao ministério do Senhor, os denominados ˜legalistas˜, ou seja, que possuíam profundo conhecimento das Escrituras, mas se opunham àquilo que era pregado. Em Mateus 23:1-4 Jesus mostra aos discípulos que não deveriam imitar os religiosos em suas obras, pois estes não viviam o que pregavam, mesmo com toda a experiência e conhecimento que possuíam.
Os interesses pessoais, além da ostentaçao do poder que tinham na sociedade, eram mais importantes do que a vontade de Deus. Mateus 12:34 relata Jesus chamando esses homens de “raça de víboras” e em Mateus 7:1-3 o Senhor nos ensina que a prática de julgar, muito comum entre os legalistas, deveria cessar.

Confrontos entre Jesus e os religiosos eram comuns, conforme descrito em Mateus 6:33, mas eles não estavam dispostos a mudar ou se arrepender. De nada valia todos os sacrifícios e jejuns que realizavam se os corações não mudavam, as obras eram inúteis sem obediência.

Não seremos julgados por aquilo que conhecemos da Palavra de Deus, mas sim pela prática dela, Tiago 1:23 reforça esse ensinamento.

O segundo grupo era o das multidões, foco da misericórdia de Jesus, conforme Mateus 14:14. Ele amava a multidão e veio para servir, libertar e curar cada uma das pessoas que faziam parte dela.

Apesar do amor divino, elas querem apenas os seus próprios interesses e benefícios, sabiam que o Senhor poderia fazer tudo e esperavam uma mudança na realidade que viviam. João 6:2 conta-nos sobre as curas que Jesus fazia e também que era seguido aonde quer que fosse.

O grande problema da multidão foi ser influenciada pelos religiosos legalistas que desejavam se livrar do Senhor, conforme Mateus 15:11-15, que relata como Jesus foi escolhido para a crucificação mesmo após ter alimentado, curado e transformado a vida dessas pessoas.

A multidão quer somente o que as mãos do Senhor podem fornecer, mas o relacionamento com Ele é desprezado. Deus não está inserido na vida dos membros dela.

O último grupo era representado pelos discípulos, homens comuns que conviviam em tempo integral com Jesus, observando como Ele tratava os religiosos e as multidões. Em Mateus 16:15-17 e Marcos 4:33-34 Jesus nos ensina sobre como os apóstolos deveriam e poderiam crescer em conhecimento da Palavra.

Através da revelação da Palavra de Deus a eles conseguimos ver a mudança e crescimento de cada um, inclusive purificando as áreas afetadas pelo pecado, conforme João 8:31-32. De cada um deles era esperado que houvesse uma transformação pessoal e espiritual.

Jesus ensinava a arte de servir, pois eles também deveriam fazê-lo. O Senhor tinha prazer ao servir as multidões. Através do serviço o amor aos necessitados é cultivado, aplicado e multiplicado.

Servir faz parte da natureza de Cristo em nós.

Escute a mensagem completa em áudio.

Confira as fotos do culto